Diplomata australiana visita o Labomar e dialoga com a direção e professores sobre parcerias

31 de agosto de 2017

Diplomata australiana visita o Laboma

A diplomata da Embaixada da Austrália no Brasil, Abigael Ogada-Osir, visitou, na última terça-feira (29), o Centro de Estudos em Aquicultura Costeira (CEAC), no Eusébio, vinculado ao Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da Universidade Federal do Ceará, localizado na Mangabeira, no Eusébio. Nesta visita, a diplomata veio conhecer o Instituto e conversar com a direção e pesquisadores acerca de iniciativas que representem oportunidades de fortalecimento da cooperação entre a UFC e seu país.

Acompanharam Abigael Ogada-Osir a diretora do Labomar, Profª Ozilea Bezerra Menezes; o coordenador de Mobilidade Acadêmica da Pró-Reitoria de Assuntos Internacionais, Prof. Konrad Christoph Utz; o vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Marinhas e Tropicais, Prof. Luis Ernesto Bezerra; o chefe do Laboratório de Nutrição de Organismos Aquáticos (Lanoa), Prof. Alberto Nunes, e a  Profa Núbia Lima, criadora e coordenadora do Museu Marinho abrigado no CEAC.

A visita ao CEAC foi iniciada pelo Museu Marinho, onde o acervo apresenta a evolução de seres do mar – de esponjas a mamíferos marinhos, passando por corais, crustáceos e peixes. Em seguida, a comitiva foi ao Lanoa, onde ficam os tanques de experimentos com alimentação de camarão em cativeiro. Na sala de reuniões, Abigael Ogada-Osir assistiu à apresentação sobre a UFC feita pelo Prof. Konrad. Apresentações mais específicas relativas ao Labomar – estrutura física, cursos de graduação e pós-graduação e laboratórios – foram feitas pela Profª Ozilea e pelo Prof. Luis Ernesto.

PESQUISAS  – A Profª Ozilea informou que desde 2014 a UFC mantém uma série de atividades (através do Labomar) de âmbito técnico e acadêmico na área da aquicultura com a James Cook University (JCU), instituição australiana sediada em Townsville, Queensland. Ela afirmou para a diplomata que há pontos de interesse comum entre cearenses e australianos na área da aquicultura, e não apenas, na área da formação. A Diretora do Labomar destacou a importância da aplicação socioeconômica dos conhecimentos advindos das pesquisas acadêmicas. Ela entende que, com estudos e ações que levem à melhoria na produção de pescado, por exemplo, se pode a ajudar a combater a fome no mundo.

O Prof. Alberto Nunes, do Lanoa, que esteve na JCU em 2014, acrescentou que, em 2015, o pesquisador Ricardo Camurça Correia Pinto, da equipe do Labomar, fez parte do seu doutorado na universidade australiana sobre o peixe barramundi (parecido com o robalo brasileiro). Atualmente, o Prof. Rodrigo Maggioni, também ligado ao Labomar, encontra-se naquela instituição de ensino da Austrália fazendo pós-doutorado.

O coordenador do Lanoa reforçou a ideia de troca de conhecimentos entre australianos e brasileiros. Comentou que se pesquisadores da Austrália têm avançado em pesquisas como a de criação de peixes marinhos, os brasileiros, especialmente os cearenses, aprofundaram conhecimento sobre a mancha branca – doença  que acomete camarões cultivados – por conviverem com o problema no Estado.

APROXIMAÇÃO – Ano passado, o Labomar recebeu a visita do embaixador da Austrália no Brasil, John Richardson. A vinda da diplomata Abigael Ogada-Osir reforça a aproximação entre a UFC e aquele país. Para a equipe do Labomar, a diplomata entregou folderes e publicações com informações sobre programas e bolsas do governo australiano voltadas tanto para estudantes como para profissionais.

Entre as iniciativas divulgados por ela, está o Endeavour Scholarships & Fellowships, programa de bolsas – para cursos técnicos e de pós-graduação – ofertadas anualmente pelo governo a candidatos de várias partes do mundo, em qualquer área de conhecimento e sem limite de idade. Este ano, as inscrições terminaram em junho, mas em 2018 haverá nova edição. A diplomata recebeu sugestão da equipe do Labomar de buscar apoio junto à Embaixada a fim de intermediar intercâmbios de professores para cursos, palestras e treinamentos.

Fonte: Profª Ozilea Bezerra Menezes, Diretora do Labomar – fones: 85 3366 7000 / 3366 7005

Notícia publicada no Portal da UFC em 30/08/2017